Mercado de Vinho durante a Pandemia. Como se encontra o segmento? – Sobre Varejo

Que vinho é uma delícia ninguém duvida, mas e em meio a tantas transformações ocasionadas aos últimos acontecimentos? Como se encontra o Mercado de Vinho durante a Pandemia.

Mercado de vinho durante a pandemia


Você lembra quando tomar vinho era sinônimo de sair de casa, procurar um restaurante com boas opções da bebida, ou ir pessoalmente até uma loja pegar dicas com algum sommelier?

Pois é. Parece muito tempo atrás, mas fazíamos isso antes da pandemia. E como é agora?

Com o celular na mão é possível pedir aquele rótulo especial. Uma mensagem no WhatsApp também ajuda, ou, então, comprar e ir lá buscar. As facilidades melhoraram impulsionadas pelo “fique em casa”.

Os números não negam: por décadas o consumo per capita de vinho no Brasil era de menos de 2 litros. No final de 2020, isso bateu recorde: fomos para 2,8 litros, um aumento de 30% (430 milhões de litros ou ainda, mais especificamente, 573,3 milhões de garrafas).

Vamos além: nos cinco primeiros meses de 2020, o consumo de vinho no Brasil cresceu 15%. Ao mesmo tempo, a comercialização de vinho brasileiro teve um aumento de 117% de Março a Maio, de acordo com a Ideal Consulting, se comparado ao mesmo período de 2019.

Chegando agora em 2021, no primeiro quadrimestre já foram vendidos mais de 100 milhões de litros da bebida em território brasileiro.

Os dados compartilhados pela Associação Brasileira de Sommeliers surpreendem você?

Vinho, a bebida da quarentena. Mercado de vinho durante a pandemia

Distanciamento social, quentinho do sofá para assistir a Netflix, jantar em família… pequenos prazeres para reforçar a esperança de dias melhores.

Alguém duvida de que o vinho ganharia esse espaço? A bebida é conhecida por não precisar de uma vida social intensa para ser consumido.


E, mais uma vez, as pessoas que já o tomavam abraçaram de vez a ideia; e os que ainda não tinham incorporado nos hábitos cotidianos, deram uma chance.

O grande crescimento nas vendas de vinho na quarentena foi mesmo em supermercados e e-commerces. As vendas online abocanharam um crescimento de 40% desde o início da quarentena! Haja vinho, hein, Brasil!

Clubes de assinatura: a garantia de viajar sem sair do lugar.

Levantamento feito pela consultoria Winext, 17% dos consumidores fazem suas compras por meio de clubes de vinho. Quem lidera as compras, no entanto, ainda são os supermercados, com 80%. Porém, as lojas especializadas em vinho são expressivas, com 33% das vendas por clubes de assinaturas, e o e-commerce chega em seguida, com 28%.

Qual o motivo das pessoas assinarem clubes com esse perfil? A certeza de que serão surpreendidos com rótulos destaque, sabores únicos e escolhidos por quem entende da bebida. Fora a comodidade de receber uma caixa cheinha de vinhos batendo a porta.

O mercado está em ampla expansão e tende a continuar dessa forma, até porque as pessoas tomaram, literalmente, gosto pelos tintos, rosés e brancos, de todos os cantos do mundo.

De olho no futuro, no chamado pós-pandemia, a IWSR, líder em dados e análises sobre o mercado de bebidas alcoólicas no mundo, mostra que: até 2024, o vinho terá crescimento anual em volume de 1.8% e 2.4% em valor. Sendo que no Brasil, 30% dos consumidores regulares de vinho já usam lojas virtuais para comprar o produto, enquanto 59% pretendem fazê-lo nos próximos meses.

Joca Ururahy – Sócio-fundador da House of Wine, sócio dos restaurantes Mäska e Brasserie Mimollette e produtor do vinho Família Zalfa em Mendoza.

 

A contribuição do artigo é de Rafael de Almeida.

Imagem: @freepik

Esperamos que tenha gostado do conteúdo. Comente e compartilhe.

Deixe também suas dúvidas ou sugestões.

Por fim, um abraço de toda a equipe!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.