A linha sem Glúten e sem Lactose continua a crescer no Varejo

Atualmente, o aumento da Linha sem Glúten e sem Lactose nos supermercados é uma realidade. Mas afinal, por qual motivo isso acontece? quem mais os consome? Confira tudo aqui.

Linha sem Glúten e sem Lactose

Hoje em dia, as pessoas mais jovens estão liderando a tendência de comprar produtos sem laticínios e sem glúten em particular. Consequentemente, é possível notar o reflexo disso no exterior. Alguns supermercados do Reino Unido estão aumentando cada vez mais o seu mix de produtos deste segmento.


O pesquisador de consumo McKevitt, explica: “Os consumidores estão associando a etiqueta: livre de,  a uma forma natural de saúde em geral”.

Ele afirma que, embora apenas cerca de 5% da população precise de fato evitar certos grupos alimentares por razões médicas, 54% das famílias aderiram à tendência nos primeiros três meses deste ano, comprando dessa forma pelo menos um produto destas categorias.

Linha sem Glúten e sem Lactose

Nos últimos anos, uma moda de “alimentação limpa e saudável”, vegana e outras dietas popularizadas on-line, impulsionou o mercado de produtos especialmente fabricados. Isso incentivou supermercados e lojas especializadas a estocá-las.

Comparado à pesquisa do ano passado, mais 3,3 milhões de pessoas compraram um produto dessas categorias (alimentação limpa e saudável ou isento de:), disse McKevitt.

O crescimentos dos produtos “isentos de”

Na mesma pesquisa, as famílias que continham pessoas com menos de 45 anos tinham 20% mais chances de comprar.

As vendas de produtos “isentos de” cresceram 36% em comparação com o ano anterior, disse ele.

A Kantar monitora os hábitos dos compradores usando uma amostra de 30.000 famílias.

“A maioria dos produtos é comprada por pessoas que não se identificam como intolerantes”, disse McKevitt.

Segundo a pesquisa, ele disse que os compradores usaram o rótulo como atalho para identificar produtos que acreditavam serem mais saudáveis.

Ursula Philpott, nutricionista da Universidade Leeds Beckett, disse que para a parte da população que sofreu alergias e intolerâncias, o aumento da disponibilidade desses produtos foi muito útil. Entretanto, a maioria das pessoas não precisou evitar grupos alimentares específicos.

“Muitas pessoas compram esses produtos porque venderam a idéia de que glúten ou laticínios são de alguma forma ruins para você, e que isso é baseado na ciência, o que para a maioria das pessoas simplesmente não é o caso”, disse ela.

“Se olharmos para os estudos a longo prazo, sabemos que os tipos de dietas que nos levam a ter vidas mais longas ou menos estados de doença são por exemplo: as dietas mediterrâneas, que não incluem cortar ou eliminar muitos grupos de alimentos”.

Fato é que nesta equação entre necessidade e realização, ganha quem estiver pronto ao mercado. Portanto, variedade e opções de produtos que atendam ao que o público necessita ou se faz necessitar e, consequentemente contribuam ao seu consumo.


O que são produtos sem glúten?

São produtos sem um tipo específico de proteína, no caso o próprio Glúten. O glúten é composto pela mistura de duas outras proteínas, a gliadina e glutenina.

Geralmente essa proteína é encontrada naturalmente na semente de muitos cereais como por exemplo: trigo, cevada, aveia ou centeio.

Ela proteína atua como uma espécie de borracha ou cola, garantindo uma textura singular e uma maior flexibilidade ao produto final.

Para alguns grupos de pessoas, o consumo e a ingestão podem causar danos na parede do intestino delgado, assim como outros sintomas: diarréia, dor e inchaço abdominal.

Entre alguns exemplos de alimentos sem glúten, temos:

  • Arroz e variados.
  • Carnes e peixes.
  • Também os óleos, azeite e margarina.
  • Frutas e vegetais.
  • Açúcar, chocolate, cacau, sorvetes…

Contudo, Antes de qualquer dieta é imprescindível uma consulta ao seu médico. Analise se você pertence ao grupo intolerante, e inicie um tratamento e uma dieta eficaz.

O que são produtos sem lactose?

A lactose é um nutriente (carboidrato) que faz parte do leite. Da mesma forma, quando relatamos que uma pessoa é intolerante à lactose, queremos dizer que essa pessoa não consegue realizar a digestão desse carboidrato.

Quando enquadrado nesse perfil, a pessoa começa a sentir alguns desconfortos, como: gases, sensação de “barriga inchada”, e em alguns: casos recorrentes de diarréia.

Entre as pessoas que apresentam esses sintomas é imprescindível a retirada dessa substância da dieta, entretanto ás vezes somente essa medida não é suficiente.

“Seria necessário que o nutricionista fizesse um trabalho para reconstruir essa flora intestinal. Muitas vezes a dificuldade do “Não digerir” o carboidrato está relacionada à qualidade alimentar na rotina diária”, disse Amanda Rocha, nutricionista da Villa Saúde.

Dessa forma se faz necessária por exemplo: Uma ingestão maior de alimentos com fibra, frutas, e alguns suplementos como probióticos e glutaminas, para então reestabelecer essa flora intestinal.

Ainda, se for uma intolerância parcial, posteriormente seguindo os devidos tratamentos, é possível consumir e conseguir digerir o leite e seus derivados.

Outra saída para os que constatam essa intolerância, seja ela pela lactose ou simplesmente pelo leite do gado, são: As linhas de produtos com base de soja.

No entanto, vale ressaltar que qualquer produto que venha substituir a dieta com o leite deve ser e estar enriquecido de cálcio.

Esse nutriente (cálcio) é um dos mais encontrados no leite, e consequentemente com sua ausência, estará escasso no seu organismo.

O cálcio é um mineral importantíssimo: fortalece os ossos, e para que realiza atividades físicas contribui muito na contração muscular.

Entre os alimentos sugeridos com soja, procure por: Extratos de soja (enriquecidos com cálcio).

Assim você vai manter seu organismo saudável, sem a presença da alergia (intolerância ao leite) bem como o organismo fortalecido com o micronutriente, o cálcio.

 

Imagem: @user20166574


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *