Para investir na retomada da economia BNDS quer levantar 5 bilhões

Com a crise do novo Coronavírus o Covid-19 e com o objetivo de contribuir e socorrer a economia do país, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDS)  planeja levantar até U$ 5 bilhões com garantia do Tesouro.

Qual o objetivo e o papel na economia?

Essa medida tem o objetivo de segurar e sustentar um papel de destaque do Banco, além de iniciar estímulos para a retomada das atividades econômicas.


Durante o estudo e pesquisa de mercado, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, constatou que as agências multilaterais são as melhores opções e alternativas quanto a fonte de recursos neste momento.

Elas, além de estáveis apresentam melhores condições quanto aos custos e prazos para pagamento, mesmo durante a crise.

Para investir na retomada da economia BNDS quer levantar 5 bilhões

Entre os exemplos desses bancos temos: Banco Mundial e Banco Interamericano. Ambos organismos multilaterais, que podem e devem contribuir, desde que: seja certificada a garantia da União para empréstimos em grandes volumes.

O pedido para esta ação foi levado pelo presidente do banco Gustavo Montezano, e pelo presidente do conselho de administração Marcelo Serfaty ao ministro Paulo Guedes (Economia). Entretanto neste momento, o pedido está sendo analisado.

Como funcionaria essa manobra de captação?

Essa manobra de captação, é essencial e vista como necessária após todos os impactos no fluxo de caixa do banco neste ano devido a pandemia mundial do Coronavírus.

Isso aconteceu principalmente, após o lançamento do pacote de medidas “Anticrise”, aprovadas pelo governo e pelo próprio banco (BNDS) que por hora apresentou:

  • Transferência de aproximadamente R$ 20 bilhões do PIS/Pasep. Recursos aplicados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDS) para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
  • Suspensão de até seis meses das parcelas e pagamentos ao BNDS. Referente à financiamentos das empresas direta ou indiretamente. Acarretando por hora cerca de R$ 30 bilhões no recebimento (dessa forma o prazo ainda pode ser expandido).
  • Reforço de R$ 5 bilhões para linhas de capital de giro em pequenas empresas.

O total médio de todas as iniciativas no que se chama pacote anticrise envolvendo o banco BNDS já somam cerca de R$ 55 bilhões em recursos.

Por outro lado:

Outros cenários que também pressionam o banco, e são presentes no contexto atual da economia se devem basicamente ao efeito da crise em si:

  • A dificuldade em levantar recursos com venda de ações em carteira. O momento é de preços em baixa com alta do dólar e a baixa na bolsa de valores.
  • O aumento de inadimplência devido às medidas de quarentena e ao cenário problemático das empresas e empresários.

Além disso, muitas incertezas cercam a situação financeira do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), responsável por pagar o seguro-desemprego.

O banco já cogita e teme que possa ser obrigado a pagar antecipadamente repasses feitos no passado pelo fundo à instituição.

Para o planejamento de 2020 havia uma expectativa para o pagamento antecipado de dívidas com o Tesouro em 2020 e 2021. Essa projeção existiu até momentos antes da pandemia, onde cerca de R$ 25 bilhões seriam devolvidos. Entretanto, nesse momento além do aperto no fluxo de caixa no BNDS, essa projeção de pagamento torna-se cada dia mais distante.

Para quem acompanha de perto, inicialmente nos bastidores havia rumores de que o banco poderia devolver apenas o mínimo combinado com toda a equipe econômico, contudo com o contexto atual, acredita-se que os pagamentos possam ser postergados por até dois anos.

De onde são esses empréstimos que acarretaram a economia Brasileira?

Os empréstimos foram realizados a partir do governo Lula diante da crise econômica de 2008. Posteriormente começaram a ser devolvidos no fim do governo Dilma, e aceleradas a partir da gestão Temer. São referentes aos empréstimos do tesouro ao BNDS.

Com o intuito de diminuir o endividamento público e reduzir a participação estatal no crédito, os empréstimos passaram a ser devolvidos de maneira antecipada, sempre sob as diretrizes do Ministro da Economia Paulo Guedes.

O ministério queria resgatar do banco cerca de R$ 270 bilhões até 2020. Entretanto neste momento com a crise, possivelmente o planejamento será alterado.

A devolução antecipada de empréstimos pelo BNDES ao Tesouro não impacta o resultado primário, mas contribui e ajuda na redução da dívida bruta no mesmo montante do valor devolvido.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, também pretende não distribuir dividendos acima da taxa mínima estabelecida no estatuto do banco (25% do lucro) para 2020 e 2021.

Os pagamentos acima do previsto foram uma ideia surgida no Ministério da Economia antes da Covid-19, com o intuito de abastecer o caixa do governo e contribuir com o ajuste fiscal.

Imagem: Freepik


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.