Venda direta: Como driblar o desemprego e ter sucesso no próprio negócio.

Venda direta: Como driblar o desemprego e ter sucesso no próprio negócio.

Especialista e mentor de venda direta, Mohamed Gorayeb, traz sete dicas práticas para pessoa empreender e conquistar a independência financeira 

Conhecido como empreendedorismo por necessidade, para muitas pessoas, empreender tem se tornado a única alternativa para combater o desemprego. De acordo com o Mapa das Empresas, plataforma digital do Ministério da Economia, em 2021, o Brasil registrou um saldo 2,1 milhões de novas empresas. Dado positivo, caso comparado ao estudo do Fundo Monetário Internacional (FMI), no qual aponta que 13,8% da população terminou o ano desempregada. Os estudos mostram que muitos brasileiros estão optando em abrir o próprio negócio do que buscar um novo emprego.


“O desemprego costuma ser algo que assusta as pessoas, mas para muitos ele é o divisor de águas para o empreendedorismo. Com a atitude certa, é possível conquistar diversos clientes e ter sucesso nos negócios. Faça 100% do processo e não se preocupe com o resultado final, pois ele irá vir. Não há sucesso que resista a persistência. O desemprego pode levar uma pessoa da condição de funcionário ao comando do próprio negócio”, comenta Mohamed Gorayeb, especialista em vendas diretas, responsável por treinar mais de 1,2 milhões de pessoas em quase 20 anos de carreira e mentor de equipes de vendas de grandes marcas, tanto nacionais quanto internacionais.

Confira abaixo as sete dicas do especialista para começar um negócio após uma situação de desemprego:

 

Não invista o seu tempo na busca de outro emprego.

De acordo com Mohamed, o primeiro passo para a pessoa se tornar um empreendedor, é a mentalidade. Segundo o especialista o “tempo é o maior ativo que uma pessoa possui”. Caso a pessoa utilizar o seu tempo para buscar outro emprego, ela novamente ficará sujeita a uma situação de desemprego. O especialista sugere que a pessoa utilize o seu tempo para estruturar o seu próprio negócio.

 

Busque algo que você goste de fazer.

Para a pessoa se tornar um empreendedor, antes de tudo ela deve saber muito bem o que irá oferecer. O mais indicado é que primeiro se faça uma reflexão e busque trabalhar com aquilo que goste de fazer. Se uma pessoa gosta muito de roupas, por quê não ter uma empresa no setor? O mesmo vale para tantos outros segmentos, como sapatos, maquiagens, perfumes, entre outros. Segundo Mohamed, a paixão naquilo que faz é um dos maiores combustíveis para a independência financeira e o sucesso nos negócios.

 

Não use a rescisão para pagar dívidas.

Ao sair de um emprego formal, a pessoa irá receber o valor de uma rescisão e, dependendo do tempo que possui no trabalho, um seguro desemprego. Para Mohamed, o mais indicado é não utilizar esse valor para pagar dívidas antigas, mas sim para investir no próprio negócio, ou seja, caso a pessoa busque trabalhar no segmento de roupas ou maquiagens, utilizar essa quantia para comprar os produtos. Esse valor é a “galinha de ouros” que pode tornar um desempregado em um empreendedor.


 

Procure bons fornecedores.

Nada vale vender os produtos se você não possuir lucro. Para isso, é necessário bons fornecedores. Nem sempre os fornecedores serão somente um. O especialista aconselha que o empreendedor faça um trabalho de campo e busque fornecedores que vendam determinados produtos há um preço que possibilitem uma margem de lucro interessante. Outra alternativa, seria fazer os próprios produtos. Mas para isso são necessários habilidades e também capacitação.

 

Busque capacitação.

O estudo deve ser constante e nem sempre é necessário pagar para se ter conhecimento. Para Mohamed, uma das grandes vantagens da Internet, é a acessibilidade ao conhecimento. Mas atenção: a imensa gama de fontes pode confundir o internauta. Procure ter apenas um mentor para cada tema que deseja aprender. Dessa maneira irá evitar cruzar as informações e se confundir.

 

Localize os seus clientes.

Segundo Mohamed, “mais do que vender é necessário criar relacionamentos”. Talvez os primeiros clientes estejam dentro do seu círculo social. Abra a agenda do seu celular e entre em contato com pessoas a sua volta. Em uma conversa informal, fale com aquilo que está trabalhando. Aos poucos, essas pessoas irão te indicar para outras pessoas. Faça uma “teia de relacionamentos”, que irá crescer cada vez mais a medida que o tempo passa. Outra alternativa, é buscar pontos onde um grande número de pessoas com o perfil do seu público se encontre e ali vender os seus produtos.

 

Dica de Ouro: Autorresponsabilidade

Autorresponsabilidade é o comportamento de aceitar ser responsável por todos os seus atos. Consequentemente, uma pessoa que se vê como única e principal responsável pelos próprios erros, vê também o poder que tem para sair de uma determinada situação e dar a volta por cima. De acordo com Mohamed, essa virtude é essencial no empreendedorismo. “Não gaste seu tempo se lamentando ou criando muletas para o que deveria fazer e não fez. Direcione seus atos ao encontro dos seus objetivos”, finaliza o especialista.

 

Autor do artigo é Mohamed Gorayeb, Conceituado especialista em vendas diretas que em 20 anos já treinou mais de um milhão de pessoas e é mentor de diversas equipes de vendas de marcas nacionais e internacionais.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo. Comente e compartilhe.

Deixe também suas dúvidas ou sugestões.

Por fim, um abraço de toda a equipe!

Imagem: @senivpetro


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.