Globalização. O que é? Aprenda Agora – Sobre Varejo

Quer saber tudo sobre Globalização?

Aspectos positivos e negativos, a Globalização como perversidade e como realidade? Confira aqui com a gente!


Globalização

Antes de mais nada, vale frisar o quão amplo o tema Globalização é, com isso várias vertentes poderiam ser abordadas para explicar o título. No entanto, nessa explicação estaremos utilizando a vertente do professor Brasileiro Milton Santos, um dos maiores geógrafos na história do Brasil.

Globalização

Definição: Processo histórico que promove dentre outras coisas: maior integração social, cultural e econômica entre os povos do globo (mundo). Ou seja, ela se caracteriza pela união desses fatores, conexões offline através de viagens, online através da internet e aplicativos, culturais (filmes, peças, música) econômicas (políticas, bolsa de valores, moedas)… entre outros.

Motivo (como ela acontece)? Isso acontece devido a disseminação ou desenvolvimentos das redes geográficas.

Mas o que são redes geográficas? Podemos entender melhor através de um sinônimo. Podemos considerar redes geográficas enquanto conexões geográficas. Ou seja, todos estão conectados.

No entanto para a Geografia, podemos dividir essas redes de Geográficas que promovem o processo de Globalização em dois tipos:

  • Rede Material: Tudo aquilo que conecta através de coisas físicas e concretas, como por exemplo: pessoas e mercadorias.
  • Rede Imaterial: Tudo o que transporta coisas não concretas, ou seja: Abstratas. Basicamente o que transporta informação. Por exemplo: Internet, telefone, televisão, jornais, transmissões, rádios, dados bancários/ remessas … entre outros.

Nesse parâmetro também vale frisar o quanto o impacto financeiro (condição) em ter acesso á redes imateriais e materiais facilita a inserção de uma pessoa ou de um país em um processo de Globalização.

Aldeia Global

Tentando entender o processo e as transformações no período de Globalização, vamos analisar alguns momentos históricos.

A cada década quando uma inovação surge, é consequência que o mundo se aproxime cada vez mais.

Aldeia Global, isso se refere a um encurtamento do espaço tempo em que mundo aparentemente vem passando… o que isso significa?

Anteriormente, para se fazer uma viagem de Portugal ao Brasil por exemplo, o tempo era de aproximadamente 4 meses através de navios. Atualmente no entanto, com todas as transformações e evoluções nos processos de viagens e passageiros, esse trajeto pode ser realizados em até 10 horas de percurso através dos aviões.

Ou seja, entende-se que o mundo ficou mais curto. Os espações estão menores. Não geograficamente é fato, mas ao ponto de vista social e tecnológico parece que os espaços estão se encurtando e as distâncias diminuindo.

A Globalização promove e permite essa quebra das barreiras e queda das distâncias. Essa é a ideia de Aldeia Global.

Pense em uma aldeia onde todos se conhecem, se aproximam, trocam informações, mercadorias e fazem conexões. Isso facilita para entender de maneira mais prática todo esse conceito.

Abaixo quatro dos principais pontos importantíssimos no processo de transformação da Globalização.

Histórico da Globalização

Grandes navegações (século XVI).

Este é considerado o ponto inicial desse processo. Apesar de algumas relações econômicas já serem estabelecidas, este momento no qual os Europeus, principalmente os Portugueses e Espanhóis se lançam ao mar buscando colonizar a América, África e Ásia acontece um processo que a gente consegue perceber uma intensificação. Ou seja, uma união desses povos.

Com isso, o processo de grandes navegações onde a circulação de mercadorias e informações começou a se dar de maneira mais significativa, é bem interessante e marca o início desse processo.

Dica Extra: Se você quer saber mais sobre esse início de processo, tem um documentário muito interessante por Milton Santos chamado: Por uma outra Globalização.

 

Terceira Revolução Industrial

Outro momento crucial nessa transformação é a Terceira Revolução Industrial. Acontecida nos anos de 1960 a 1970.
Esse momento promoveu dentre outras coisas uma Revolução Técnico-Científica, ou até então Técnico-Científica Informacional. Mas qual é essa ideia?

Essa Terceira Revolução Industrial foi a Revolução do Toyotismo, das renovações tecnológicas e automação, da química fina sendo produzida, do encurtamento das distâncias.

As redes geográficas, tanto materiais quanto imateriais se desenvolveram demais nessa época.

Nessa revolução o termo técnico vem de qualificação de mão de obra, ou seja, promoveu uma integração de mão de obra muito importante e o termo científico vem da produção do conhecimento.

É típico dessa fase o chamado Tecnopolos, ou seja, locais onde você reúne: produção de conhecimento associada à aplicação industrial. Aqui no Brasil por exemplo em São José dos Campos, existe o ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e a Embraer, um dos maiores exemplos.

Por fim, a Terceira Revolução Industrial é um momento de intensificação da Globalização. Porque as tecnologias criadas foram muito importantes.

Cuidado: Não era uma total Globalização ainda, por quê? Porque nesse período, nós ainda tínhamos o mundo bastante dividido. Divisões entre primeiro e segundo mundo, capitalismo e socialismo… Então a União Soviética, Polônia, Ucrânia, Iugoslávia que eram países socialistas, resistiam e chegavam até a impedir o processo de Globalização mais intenso.

Nova Ordem Mundial

Essa Nova Ordem Mundial é o período Geopolítico no qual começa após 1989, segundo alguns historiadores é o fim de Guerra Fria quando cai o muro de Berlin, ou em 1991 com o fim de União Soviética (depende do historiador).

Mas fato é, com a nova ordem Mundial vindo, Rússia e os países do leste Europeu começam a se integrar de forma mais significativa ao processo de Globalização, a prova disso: O leste Europeu principalmente Letônia, Lituânia, Estônia, Croácia, Romênia, Bulgária, todos esses países ingressam na União Européia, que é uma característica da Globalização.

Uma formação de blocos econômicos, uma integração é estabelecida.

Quarta Revolução Industrial

Neste tópico, chegamos na atualidade. Hoje podemos dizer que estamos em uma nova revolução. Um novo período de integração dessa Globalização, a chamada quarta revolução industrial.

Contudo, ainda não conseguimos descrever todos os detalhes, estamos passando sobre ela agora.

Geralmente é muito mais fácil para um Geógrafo ou historiador, cientista das ciências humanas, perceber, analisar e concluir o que já passou. Por isso, ainda não sabemos com precisão quais serão as principais mudanças. Entretanto, vale frisar que esta quarta revolução industrial é marcada pela inteligência artificial e a tecnologia 5G (velocidade de navegação significativa), ou seja possibilidades de movimentos remotos à distância.

Ou seja, podemos estar vivenciando um novo processo de Globalização nunca visto antes na história. Mas claro, ainda é tudo muito novo.

 

O outro lado da Globalização: As consequências.

Se por um lado o que viemos até agora relata a polarização e unificação dos povos enquanto uma aldeia global, por outro temos algumas consequências.

Tendência a padronização cultural.

Isso não quer dizer que todas as culturas se tornarão uma só, mas fato é, nós temos hoje as empresas transnacionais se espalhando pelo mundo. E com a tecnologia é cada vez mais fácil disseminar e espalhar essas transnacionais.

Do mesmo modo, é possível notar um certo padrão de comportamento, então por exemplo:

  • Todas as pessoas tendem a se vestir da mesma maneira.
  • De utilizar as mesmas redes sociais.
  • Os mesmos contatos pessoais (smartphones, emails, celulares).
  • Compras pelo Google, Amazon, Apple…

Percebe que mesmo que indiretamente e sem interferir no livre arbítrio, há uma tendência padrão nesse comportamento? E isso vai além, Globalizando ainda o padrão de alimentação, afinal: Quem não conhece um Big Mac atualmente?

Isso é reflexo da Globalização, e as pessoas vão se comportando cada vez mais da mesma maneira. Do oriente ao ocidente e vice-versa.

Os países mais subdesenvolvidos, menos adaptados e que tem menos acesso às redes “material e imaterial” com a índia, por exemplo, tendem a ficar mais “alheios” ao processo de Globalização.

Enquanto isso, os países mais desenvolvidos, principalmente os países emergentes buscam por uma miscigenação cultural.

Aumento de desigualdade.

Ou como Milton Santos chamaria de: Globalização como Perversidade.

Uma vez que citamos e explicamos a Globalização enquanto fábula, ou seja: Processo lindo, conexão entre os povos, economias e informação de qualquer lugar… Também esconde o outro lado dessa realidade.

A Globalização enquanto perversidade, promove o aumento da desigualdade. E isso vale a desigualdade intra-país (ou seja, dentro do próprio país) quanto a desigualdade extra país (entre países diferentes).

E isso vai além de um simples poder físico ou militar, ou seja, a força tática de um país.

Soft Power é o poder em que um país exerce sobre o outro influenciando através de questões culturais.

“Pensa no sua vida, por exemplo, o quanto de produtos ou serviços americanos você consome. Filmes, séries, tecnologias, aplicativos…”

Isso vai fazendo com que eles (americanos) tenham um poder Geopolítico muito significativo, que dificilmente os chineses por exemplo, vão conseguir combater.

Por isso, a famosa questão: Será que a China pode se tornar a nova potência mundial?

Economicamente é bem possível, entretanto militarmente não, e culturalmente eles estão mais longe ainda.

Algumas transnacionais vem surgindo de lá, por exemplo: Lenovo, Xiaomi, TikTok, … são empresas importantes, mas superar o Soft Power americano, essa influência cultural que eles possuem, ainda é um grande desafio.

E porquê o aumento da desigualdade?

As redes geográficas efetivamente melhoraram, mas são todos que possuem esse acesso? Ou seja, será que todo o mundo é acessível à isso?

Um exemplo simples: Para viajar da capital ao interior do estado, gasta-se aproximadamente (350 reais com combustível e pedágio). O caminho, ou seja, a rodovia é incrível, mas será que todos têm esse valor para realizar a viagem? Com que frequência?

O mesmo vale para à comunicação e/ou tecnologia. A tendência é que anualmente haja novas tecnologias, por mais singelas que sejam. Um melhora no processamento, uma fotografia com mais pixel, ou modelo mais compacto e menos pesado.

Todas essas questões criam abismos entre grupos com diferentes poderes aquisitivos. Diferentes acessos à tecnologia e informação.

O que é Globalismo?

Apesar de muito comentado na atualidade, esse termo carece de muito estudo ainda para formatar um conceito base. Mas qual seria a ideia do Globalismo?

A ideia do Globalismo é que a partir de pautas aparentemente interessantes (por exemplo as questões climáticas, imigrações, direitos humanos) grandes burocratas internacionais interferiram nas pautas nacionais, tirando a soberania do país.

Essa pauta, merece um artigo próprio, não acha?

Aguarde até a próximo artigo sobre Globalismo.

 

Em conclusão, esperamos que tenha gostado do conteúdo. Comente e compartilhe.

Deixe as dúvidas ou sugestões para as próximos artigos.

Um abraço de toda a equipe!

Imagem: @kanawatvector


One thought on “Globalização. O que é? Aprenda Agora – Sobre Varejo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *