O abastecimento na Quarentena: Deve faltar produtos nos supermercados?

Anteriormente, um cenário não muito distante com a greve dos caminhoneiros em Maio de 2018, tivemos uma ideia do que o desabastecimento pode nos causar: escassez de produtos, incertezas e muita insegurança. E agora? Haverá abastecimento na quarentena?

Neste ano, quando entendemos que o Brasil não ficaria imune diante da pandemia mundial de Covid-19, a primeira reação foi similar ao cenário anterior, medo e muitas dúvidas. Um impulso quase que imediato se instaurou, junto dele a necessidade de abastecer a dispensa. Um receio na escassez de alimentos e produtos básicos.


Para muitos varejistas este comportamento acendeu um sinal de alerta quanto à distribuição e abastecimento dos produtos em suas lojas.

 

Abastecimento Supermercados na Quarentena Coronavírus

Entretanto, dessa vez as notícias são mais animadoras. Atualmente não há indicativos que atenuam um risco nos abastecimentos, mesmo nos segmentos e nas linhas de produtos mais procuradas.

Dentre todos os ítens, um mais pontual seria o álcool em gel que tem grande procura entre os consumidores. Contudo, a indústria elevou sua produção, e ao que tudo indica, o produto logo se tornará fácil de ser encontrado em supermercados e farmácias.


E quanto a produção de alimentos no abastecimento na quarentena?

De acordo com a Associação Brasileira dos Exportadores de Carne (Abiec), está descartado o risco de desabastecimento do produto. “O foco de atuação do setor está em produzir observando a saúde de todos os colaboradores e a segurança sanitária da nossa carne”, afirma Jorge Camardelli, presidente da Abiec. Dessa forma, com o forte aquecimento na demanda no consumo interno (consumido no Brasil) em 2020, a produção deve superar 35.5% no volume.

Quanto às frutas, legumes e verduras, o próprio Ministério da Agricultura criou uma equipe que monitora os efeitos da Covid-19 no abastecimento e produção agropecuária.

O compromisso de que não faltarão hortifrutis nos supermercados foi assinado conjuntamente por sete entidades representativas:

  • Produce Marketing Association (PMA)
  • Associação Brasileira de Produtores de Maçã (ABPM),
  • Associação de Produtores de Citrus de Mesa (ABCM),
  • Instituto Brasileiro de Horticultura (Ibrahort),
  • Instituto Brasileiro de Floricultura (Ibraflor),
  • Associação Brasileira dos Exportadores de Frutas (Abrafrutas),
  • Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS).

A cadeia produtiva está intimamente comprometida, trabalhando e executando todas as recomendações exigidas pelos órgãos sanitários do país, garantindo assim a saúde de seus trabalhadores e a segurança dos produtos que chegam aos supermercados.

Outro acordo que também reflete a mesma garantia foi feito com a cadeia de resfriados e frigorificados.

Itens de Perfumaria e Limpeza, artigos de higiene e bazar, e alimentos básicos tem relatado à Sobre Varejo, através de seus fornecedores, que atualmente operam com 100% da sua produção para suprir o aumento da demanda.

Por fim, a Neogrid que monitora a ruptura das lojas e redes de supermercado no segmento varejista diariamente, aponta que o índice chegou a atingir 12% em Março na ruptura dos produtos, entretanto baixou novamente para 11,2%.

Isso se deve no atraso na reposição dos produtos nas gôndolas e não necessariamente ao abastecimento dos produtos.

One thought on “O abastecimento na Quarentena: Deve faltar produtos nos supermercados?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *